Programa Ciência sem Fronteiras



Desde setembro de 2012, por meio da Coordenação de Pesquisa e Extensão, a FARO aderiu ao Programa Ciência Sem Fronteiras (CSF), com o intuito de ampliar o ambiente de aprendizagem dos discentes e, assim, oferecer recursos didáticos do ensino, da pesquisa e da extensão de forma inovadora.  O programa Ciência Sem Fronteiras busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas para promover o intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação.

Os requisitos exigidos pela instituição financiadora são:

a) Ser brasileiro ou naturalizado;

b) Estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no

Brasil em cursos relacionados às áreas prioritárias do programa;

c) Ter sido classificado no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), com no mínimo 600 pontos;

d) Possuir bom desempenho acadêmico;

e) Ter concluído 20% do currículo previsto para o curso de graduação.

 

Vários alunos da FARO participaram do programa e tiveram experiências enriquecedoras com o intercâmbio na França, Estados Unidos, Alemanha, Itália, Irlanda e Austrália.

Veja o relato de algumas experiências de acadêmicos da FARO no exterior:

 

Felipe Amaral – Engenharia Civil - EUA

Obteve aproveitamento máximo no intercâmbio, com médias próximas das máximas na Universidade de Miami, recebendo inclusive certificado de apreciação e recomendação do governo do Condado de Miami. “O CSF me abriu as portas para o mundo. Realizei um sonho de criança e desenvolvi habilidades incríveis. Pude atuar como voluntário em projetos em diversas organizações, ressaltando o Escritório de Comissários do Condado de Miami além do estágio em uma empresa americana, ampliando assim a rede de contatos e as possibilidades de formação e atuação na minha carreira”.

 

 

Nanci Reis – Engenharia Florestal - Itália

Através do CSF fez estágio na multinacional Bioagricert, onde atuou nas áreas de manejo florestal de produtos não madeireiros e agricultura orgânica. "Foi uma excelente oportunidade profissional e pessoal, minhas perspectivas para o futuro são as melhores. A partir dessa experiência, eu iniciei o desejo e planos de me qualificar ainda mais para o mercado de trabalho, através do estudo de novas línguas (ponto essencial), terminar a graduação, fazer mestrado e doutorado".

  

Gabrielle Ramos - Engenharia Civil - EUA

Poder estudar engenharia civil em outro país, foi uma oportunidade ímpar para aprimorar meu currículo, tanto do lado da graduação quanto em me tornar fluente em outro idioma. Aprender com professores muito bem preparados e capacitados e ainda poder colocar em prática o aprendizado foi algo sem igual e que eu vou carregar para a vida toda.